quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Incidente Militar Gera Tensão na Fronteira Seca

Por Guilherme Dreyer Wojciechowski - SopaBrasiguaia.com

Um incidente militar ocorrido nesta quarta-feira (19), na região de fronteira seca entre Paraguai e Mato Grosso do Sul, ganhou rapidamente destaque nos principais meios de comunicação do país vizinho. Tropas do Exército brasileiro são acusadas de violar a soberania territorial paraguaia.

O primeiro a noticiar o ocorrido foi o Diário Última Hora, que por volta das 15h00 (hora local), relatava que 30 soldados fortemente armados com metralhadoras automáticas e apoiados por três tanques de guerra estariam posicionados nas proximidades da divisa com Salto del Guairá.

Segundo a referida fonte, os brasileiros montaram uma barreira de controle na localidade de Paineirinha, na chamada “Terra de Ninguém”, ponto de passagem para o contrabando e o tráfico de entorpecentes. Cones utilizados para demarcar a barreira teriam sido colocados em território paraguaio.

Por esse motivo, comandantes do Exército e da Marinha paraguaia na fronteira, acompanhados por autoridades policiais, deslocaram-se imediatamente ao local da suposta invasão, provocando a retirada dos cones e o recuo em alguns metros da posição assumida pelos militares brasileiros.

De acordo com o jornal ABC Color, o diálogo entre as partes ocorreu “em tom de camaradagem, mas o ambiente ficou tenso quando, minutos depois, chegou ao lugar um caminhão militar paraguaio com 30 soldados. No entanto, após uma pequena demonstração de força, voltaram à sua base”.

Já no final da tarde, um comunicado da Polícia Nacional do Paraguai informava que o capitão brasileiro responsável pela barreira, organizada pelo 17º Regimento de Cavalaria Mecanizada, com sede em Amambai (MS), teria pedido desculpas e alegado desconhecimento de que estava em território paraguaio.

A realização de blitze na região de fronteira seca, no intuito de frear as atividades ilegais, faz parte da Operação Cadeado IV, que teve início na madrugada de terça-feira (18) e mobiliza cerca de mil militares na divisa de Mato Grosso do Sul com Paraguai e Bolívia.

Novo Comando

Último remanescente do governo de Nicanor Duarte Frutos no primeiro escalão militar, o general Bernardino Soto Estigarribia foi destituído do comando das Forças Armadas e substituído, na terça-feira (18), pelo contra-almirante Cibar Benítez Cáceres, então comandante da Marinha.

Segundo o jornal ABC Color, a destituição de Estigarribia deve-se a atritos entre o militar e o ministro da Defesa, Luis Nicanor Bareiro Spaini, que teria feito lobby em prol da alteração. A divergência entre as partes não foi confirmada pelas autoridades envolvidas.

Leia Também...

Paraguai Deflagra “Operação Ausência” na Fronteira

Quem me perguntou foi um jornalista da rede televisiva SBT, em Foz do Iguaçu: “E onde estão os militares paraguaios? Por que não fazem o mesmo e destroem também os portos clandestinos que estão na margem paraguaia?”. Como dizer-lhe? Como contar-lhe? Mais...

2 comentários:

  1. Cavalaria!!! Osório!!! Brasil!!!

    ResponderExcluir
  2. Na minha opinião, alguma coisa escusa estava por acontecer naquele ponto da fronteira. Usaram este argumento para retirada de nossa força militar do local.
    Gostaria de acreditar que este fato não iniba nossas autoridades a continuarem relizando operaçõe para controle de nossas fronteiras.

    ResponderExcluir

Esta é uma área voltada ao leitor do Sopa Brasiguaia e tem como objetivo permitir sua colaboração de maneira ágil, franca e aberta, prezando pela integridade moral de terceiros. As opiniões expressas nos comentários não representam a opinião do Sopa Brasiguaia.