segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Analistas da RFB denunciam abandono das fronteiras

06.12.10 - As críticas à porosidade das fronteiras brasileiras estão presentes não apenas na imprensa, mas, também, no interior das próprias instituições. Na semana passada, sindicalistas da Receita Federal do Brasil (RFB) lançaram um livro sugestivamente batizado de “Fronteiras Abertas”.

No material, redigido pelo jornalista Rafael Godói e pelo analista Sérgio de Castro, com 26 anos de atuação na área aduaneira, foram percorridos, durante 10 meses, os principais pontos fronteiriços brasileiros, constatando realidade de abandono e total permissividade:

A equipe do Sindireceita percorreu rodovias federais e estaduais, estradas vicinais e rios que marcam a fronteira do Brasil. Nesses pontos, caminhões carregados com carvão, madeira, bebidas e produtos agrícolas entram no Brasil diariamente sem passar por nenhuma fiscalização.

Em veículos leves, motoristas também aproveitam a fragilidade para transitar livremente. Embarcações cruzam rios que marcam as fronteiras nas regiões Norte, Centro-Oeste e Sul sem serem fiscalizadas. Rios como o Uruguai, Paraná, Paraguai, Oiapoque, Mamoré e Solimões servem de rota.

Para cobrir uma extensão de mais de 16,8 mil quilômetros de fronteiras, a Receita Federal do Brasil mantém apenas 31 postos aduaneiros. Nessas unidades, o efetivo de servidores é de apenas 596 funcionários -245 Auditores Fiscais e 351 Analistas-Tributários-, segundo o estudo de lotação produzido pelo próprio órgão.

Esse contingente representa apenas 3% da força de trabalho da Receita Federal, que atualmente conta com cerca de 19.600 servidores -12.300 auditores fiscais e 7.300 Analistas-Tributários.

A própria Receita Federal admite que somente para atender a essas 31 Inspetorias seriam necessários 1.032 servidores, sendo 380 auditores e 652 Analistas-Tributários. Apenas nesses postos de controle, o déficit de Analistas-Tributários passa de 70%.

Para a elaboração de "Fronteiras Abertas - Um retrato do abandono da Aduana Brasileira", Godói e Castro estiveram nos 31 postos de fiscalização mantidos pela RFB nas fronteiras com Uruguai, Argentina, Paraguai, Bolívia, Peru, Colômbia, Venezuela, Guiana e Guiana Francesa.

Para saber mais sobre o livro e informar-se sobre como adquiri-lo, clique aqui.

Por Guilherme Wojciechowski - SopaBrasiguaia.com.br

Leia Também...

Operação de fim de ano não inclui militares

24.11.10 - O jornal Gazeta do Iguaçu publicou, nesta terça-feira (23), informação dando conta de que a tradicional operação de fim de ano na região fronteiriça, coordenada pela Receita Federal do Brasil (RFB), não terá participação militar em 2010. Mais...

Receita registra aumento de 26% nas apreensões

13.11.10 - A delegacia da Receita Federal em Foz do Iguaçu registrou, no mês de outubro, aumento de 26% nas apreensões de contrabando, descaminho e veículos utilizados na logística dos “crimes de fronteira”. No acumulado do ano, o incremento chega a 36%. Mais...

4 comentários:

  1. Deveria ser corrigido a chamada do texto, pois são os analistas tributários e o seu sindicato o Sindireceita e não os auditores que elaboraram este livro

    ResponderExcluir
  2. Bom dia senhores do SOPA BRASIGUAIA,

    Gostaria de solicitar a correção do título "Auditores da RFB denunciam abandono das fronteiras" para "ANALISTAS-TRIBUTÁRIOS da RFB denunciam abandono das fronteiras", pois o trabalho foi desenvolvido pelos Analistas, servidores da RFB que atuam nas fronteiras, combatendo o contrabando e o descaminho.

    Agradecendo e parabenizando pelo blog que é acessado diariamente pelo SINDIRECEITA AMAZONAS.

    Moisés Hoyos

    ResponderExcluir
  3. Houve um concurso para a Receita Federal recentemente, que foi prorrogado por mais 6 meses, e o que amenizaria este problema seria a convocação de mais 350 analistas (pedido que está p/ aprovação no MPOG).

    ResponderExcluir

Esta é uma área voltada ao leitor do Sopa Brasiguaia e tem como objetivo permitir sua colaboração de maneira ágil, franca e aberta, prezando pela integridade moral de terceiros. As opiniões expressas nos comentários não representam a opinião do Sopa Brasiguaia.