quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Traficantes diminuem “exportações” de maconha

01.12.10 - Com o aumento da fiscalização no Rio de Janeiro e a perda de importantes redutos dominados pelas quadrilhas fluminenses, traficantes da fronteira seca entre Paraguai e Mato Grosso do Sul estão reduzindo suas “exportações” de maconha ao Brasil.

Imagem: Secretaria Nacional Antidrogas (Arquivo)

De acordo com o jornal O Globo, que cita “fontes da inteligência da polícia” do Rio de Janeiro, desde o agravamento do conflito e a expulsão de traficantes que dominavam algumas das principais favelas da “Cidade Maravilhosa”, a dificuldade em obter a maconha fez o preço do quilo disparar.

Com o cerco, o preço do quilo da maconha que chegava ao Alemão pulou de R$ 300,00 para R$ 650,00”, informa o jornal carioca, agregando que, com o virtual fechamento das fronteiras do Rio de Janeiro, quadrilhas e traficantes da fronteira estão recusando-se a enviar seus produtos ao referido estado.

Além disso, “o grande distribuidor de maconha no Rio da facção que dominava o Alemão, Marcelo da Silva Leandro, o Marcelinho Niterói, está tendo que pagar primeiro a dívida que tem com os distribuidores no Paraguai. Essa seria a condição para comprar outras cargas por consignação”.

As ocupações policiais na Vila Cruzeiro e no Complexo do Alemão já teriam provocado, desde a semana passada, R$ 70 milhões em prejuízos aos traficantes, com a apreensão de 42 toneladas de maconha, 300 quilos de cocaína, 205 armas de diferentes calibres, granadas, motos, carros e bens diversos.

A descapitalização das quadrilhas e de seus principais líderes, somada à tomada dos tradicionais territórios de atuação, é apontada pelas polícias do Rio de Janeiro como meta prioritária para o sucesso, a longo prazo, na luta contra os narcotraficantes.

Por Guilherme Wojciechowski - SopaBrasiguaia.com.br

Leia Também...

Polícia teme migração de bandidos à fronteira

30.11.10 - A invasão policial em áreas controladas pelo narcotráfico nos morros do Rio de Janeiro, em operação que mobilizou a atenção da imprensa, pode provocar o êxodo massivo de criminosos foragidos. A fronteira com o Paraguai seria um dos principais destinos. Mais...

PF e Força Nacional montam cerco em Ponta Porã

30.11.10 - Tolerância zero. Esta é a recomendação dada aos policiais federais e militares da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP), para a vistoria de cargas e veículos que circulam pela região de fronteira seca entre Ponta Porã (MS) e Pedro Juan Caballero. Mais...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Esta é uma área voltada ao leitor do Sopa Brasiguaia e tem como objetivo permitir sua colaboração de maneira ágil, franca e aberta, prezando pela integridade moral de terceiros. As opiniões expressas nos comentários não representam a opinião do Sopa Brasiguaia.