quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Carros com placas paraguaias são tema de discussão

16.02.11 - A Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu (ACIFI) convocou para esta quinta-feira (17), às 17h00, no auditório da entidade, uma reunião multilateral para discutir o uso de veículos com placas paraguaias por parte de brasileiros e empresas brasileiras.

Imagem: Divulgação / ACIFI

De acordo com a assessoria da ACIFI, participarão do encontro representantes de órgãos públicos como a Receita Federal do Brasil (RFB), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Federal (PF), Polícia Militar (PM), Guarda Municipal (GM) e Instituto de Trânsito de Foz do Iguaçu (FOZTRANS).

A reunião atende ao pedido de concessionárias e distribuidoras de motos e carros da Terra das Cataratas, que há anos contabilizam prejuízos com a prática irregular de aquisição de veículos no país vizinho, por brasileiros sem residência ou arraigo no Paraguai, para uso cotidiano no lado de cá da fronteira.

Queremos apresentar estudos que demonstram a utilização indiscriminada desses veículos emplacados fora do País, principalmente no Paraguai, e que trazem prejuízos não somente a comerciantes deste segmento em Foz, mas também em diversas cidades do Estado”, pontualizou a presidente da ACIFI, Elizangela de Paula Kuhn.

Outra preocupação, expressada por Mário Alberto Camargo, diretor de Comércio Exterior, é quanto à unificação do emplacamento de veículos entre os países do Mercosul, prevista para ter início em 2016, tal como definido no mês de dezembro pelos governos de Brasil, Paraguai, Argentina e Uruguai.

Precisamos de uma legislação clara e precisa sobre esse assunto. É isto que devemos reivindicar”, afirmou Camargo. Em Foz do Iguaçu, é comum o uso de carros e motos paraguaias por brasileiros que adquirem, no país vizinho, veículos pela metade do valor de mercado em território nacional.

Por Guilherme Wojciechowski - SopaBrasiguaia.com.br

Leia Também...

Motos irregulares são alvo de fiscalização na fronteira

15.02.11 - Teve início nesta segunda-feira (14), em Ciudad del Este, uma ofensiva coordenada pelo Ministério Público, Polícia Municipal de Trânsito, Polícia Nacional e Polícia Caminera (Rodoviária), tendo como foco coibir a circulação de motos irregulares. Mais...

PRF de Foz bate recorde de carros recuperados

22.12.10 - A delegacia da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Foz do Iguaçu bateu, nesta terça-feira (21), seu recorde anual de recuperação de veículos com denúncia de furto ou roubo, com a interceptação, na BR-277, de um Ford Fusion com placas de Ponta Grossa. Mais...

12 comentários:

  1. "veículos pela metade do valor de mercado em território nacional."
    A solução é simples: Basta o governo federal deixar de ser tão olho grande e reduzir os impostos, como fazem TODOS os outros países da america do sul.... basta as montadoras deixarem de ser tão gananciosas e passarem a cobrar o valor real do produto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mais pura verdade, parabéns!

      Excluir
    2. Tbm não foi falado aqui o fato de qualquer um que tenha 500 reais poder se naturalizar paraguaio e assim podendo comprar corro até 50% mais barato que no Brasil ( as autoridades sabem muito bem do problema!!! e nada é feito pois no fundo muitas pessoas lucram com essas irregularidades )qualquer um sabe disso na fronteira!!

      Excluir
  2. Concordo em parte com o meu xará... Para um País onde mais da metade da população economicamente ativa ganha "solamente" 1 SM (um pouco acima de 300 dólares no câmbio atual), é injustificado, é até no mínimo ofensivo o valor aplicado dos impostos em cima dos veículos... Essas montadoras... desde sempre, são eternos sócios e parceiros dos bancos e do Governo... todos eles assaltando sem pudor o bolso do cidadão... As montadoras: oferecendo carros "pelados" sem item de fábrica (se tiver custa um olho da cara), os bancos, que com o os juros te enfiam a faca no meio das costelas até o cabo!!!... (seus FDP!!)... e tem ainda o governooo!!!... que sem fazer nada fica com a parte do leão: nem falar do valor do IPVA e principalmente do Seguro Obrigatório aplicado, por exemplo, sobre as motos!!. E nem sequer dá pra parcelar o tal de seguro... 283 pila ao ano no seguro por uma motinha 125cc... "tá louco mano!!"... E não venham falar que essas motinhas do Paraguai não prestam... 3 mil exemplos tem cruzando ida e volta todo dia na ponte da Amizade. Não sou burguês, maluco... Vamo' de Star ou de Leopardo, meu!!.

    ResponderExcluir
  3. concordo plenamente, alem de comprar motos brasileiras vc tem o perigo de ser roubado e ainda ficar pagando parcela de moto que vc praticamente nem usou, tenho a minha Leopard e ja faz 3 anos, e sempre todo ano é assim faz aquela muvuca que vão apreender todas as motos e carros e faz blitz de 2 semanas e acaba ai o povo compra mais ainda pq Moto paraguaia vc compra com 600 reais e ainda parcelado, vai comprar moto aqui no Brasil e um absurdo de caro, parcela quase toda a sua vida e ainda tem perigo de ser roubado.
    VIVA AS LEOPARD E AS STARS

    ResponderExcluir
  4. Em minha opinião o foco esta errado, muita preocupação com coisas polemicas, tais como os das rádios que são legais na Argentina e no Paraguay, intituladas piratas pelas poucas que operam em Foz. Nossa região é atípica e deveríamos tirar proveito coletivo, alguns empresários prejudicados fazem alarme maior que o problema, veja que são muitos poucos mesmo apenas 4 donos de concessionarias estavam neste encontro. Pare para imaginar são 4 empresários prejudicados e quantos beneficiados com a duplicidade de domicilio? Que o próprio ordenamento jurídico brasileiro ampara.
    É mais fácil discutir problemas que levam a lugar nenhum do que de fato resolver nossos problemas como o Crime Organizado da Politica Brasileira.

    ResponderExcluir
  5. CONCORDO QUE O BRASIL É O CAMPEÃO DA AMERICA DO SUL EM ASSALTO POR PARTE DO GOVERNO E FABRICANTES.
    ENTÃO....O MELHOR NEGOCIO É COMPRAR OS VEICULOS DE NOSSOS HERMANOS PARAGUAYOS...!!! QUE VIVA PARAGUAY... LO SIENTO BRASIL... KKKKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  6. Montar uma loja de automóveis ou motos na fronteira com o Paraguay é o mesmo que querer vender geladeira para esquimó.

    ResponderExcluir
  7. por cauda de 4 pessoas vamos prejudicar mas de 3 mil , mudem de ramo meu amigo ou mude de pais , ao inves de reclamarem que nao se pode competir com as motos chinesas...passem para o lado paraguayo e vendam motos chinesas.....ja era ...simples assim.....

    ResponderExcluir
  8. Eles não podem mudar de mercado pois a margem de lucro das concessionarias é exorbitante no Brasil. Lucrariam muito menos no mercado paraguaio. Isso é o que estão preocupados. A proibição da importação de veículos usados já é suficiente para proteger a indústria nacional, é direito das pessoas de duplo domicílio circular com seus automóveis pessoais assim como prevê o acordo de livre comércio no MERCOSUL. Não vivemos mais no coronelismo, por favor, essa reunião é ridícula.

    ResponderExcluir
  9. ACHO QUE O PODER PUBLICO BRASILEIRO TEM MUITO MAS EM E PREOCUPAR ( TRAFICO,DESCAMINHO,CONTRABANDO,HOMICIDIOS,ASSALTOS,ROUBOS A CASA E MUITO MAS )...DO QUE SE PREOCUPAR COM ALGUNS GATOS PINGADOS QUE ESTAO DEIXANDO DE GANHA MUITO DINHEIRO COM VENDAS DE CARRO DE LEILÕES E OUTROS MAS.....................

    ResponderExcluir
  10. Alguem sabe me dizer quais os procedimentos para conseguir dupla cidadania?

    ResponderExcluir

Esta é uma área voltada ao leitor do Sopa Brasiguaia e tem como objetivo permitir sua colaboração de maneira ágil, franca e aberta, prezando pela integridade moral de terceiros. As opiniões expressas nos comentários não representam a opinião do Sopa Brasiguaia.